CONPET
Progama Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural
Toda matéria ou energia que a natureza coloca à disposição do homem são sempre recursos naturais. O homem depende desses recursos para sobreviver e ter qualidade de vida. O ar que se respira, a luz do sol, a água dos rios, a madeira das florestas e as reservas minerais são recursos naturais.  Transformados em bens e serviços, os recursos naturais vão gerar conforto. O combustível que move carros e ônibus, a energia elétrica que permite usar um computador ou ver TV, o gás que aquece o banho, a comida, as roupas, a água que você bebe, tudo isso foi direta ou indiretamente retirado da natureza.

Recursos naturais são, portanto, todas as riquezas da  biosfera que podem ser aproveitadas pelo homem. Alguns desses recursos podem ser renovados, outros não.

Chamamos de recurso natural não-renovável aquele que é finito ou que só pode ser renovado ao longo de um intervalo de tempo geológico muito longo. Minerais são recursos naturais não renováveis. Recursos fósseis como petróleo, carvão mineral e gás natural levam muito tempo (no mínimo alguns milhões de anos) para se formar, por isso se incluem entre os não-renováveis.

Recurso renovável é aquele que não se esgota, que pode ser reciclado ou reproduzido num ritmo constante. O ar e os ventos, a luz do sol, a água são recursos naturais renováveis. A flora e a fauna também são renováveis porque se reproduzem e voltam a ficar disponíveis. Disponíveis desde que sejam bem cuidados, claro. Cuidar dos recursos naturais implica usá-los de forma econômica e racional, para que os renováveis não se deteriorem por mau uso e os não renováveis não se esgotem rapidamente. Isso é consumo responsável.

O ar é vital para a sobrevivência da vida animal e vegetal. Só seres anaeróbicos podem viver sem ele.

A camada de ar que envolve a superfície da Terra chama-se atmosfera; tem cerca de 11 quilômetros de espessura e é composta por uma mistura de gases: 79% de nitrogênio, 20% de oxigênio e 1% de outros gases - entre os quais incluem-se dióxido de carbono, vapor d'água e gases raros (hélio, neônio, argônio, criptônio, xenônio, radônio...). Os gases raros, que constituem uma parcela muito pequena da atmosfera, também são chamados de gases nobres. O ar funciona também como uma capa protetora que impede que o calor escape para o espaço exterior, mantendo o equilíbrio térmico. O Efeito Estufa é um fenômeno natural, é o jeito da Terra se manter aquecida. O problema é que se a composição desses gases for alterada, para mais ou para menos, o equilíbrio térmico da Terra sofre.

Ar puro é indispensável à vida humana. Ar poluído causa danos à flora, à fauna e ao meio ambiente em geral.

O vento é o movimento do ar, um fenômeno natural que varia dependendo do local, do dia e da estação do ano. Os ventos se formam devido a diferenças de pressão: ar se desloca a partir das zonas de alta pressão em direção às zonas de baixa pressão. O vento serve de transporte (foi muito importante na época das grandes navegações), intervém na polinização, carrega sementes e... produz energia.

A energia dos ventos chama-se Eólica. Essa palavra vem do grego: Éolo, segundo a mitologia, era o deus dos ventos. E na Grécia antiga havia uma região onde ventava muito chamada Eólia. Os ventos são utilizados desde a antiguidade, movendo os barcos e moinhos. Hoje as turbinas eólicas se espalham pelo mundo. A energia eólica é uma energia renovável e de baixo impacto ambiental.

A luz do sol é responsável pela vida no planeta. Além de fornecer calor, a energia luminosa dos raios solares é absorvida pelos vegetais que, pela fotossíntese, a transformam em energia química. As bactérias e as plantas verdes utilizam a luz capturada para converter dióxido de carbono em oxigênio e açúcar. Todos os seres vivos dependem direta ou indiretamente desse processo.

Energia Solar é a energia renovável proveniente dos raios solares que pode ser, utilizada com ou sem equipamentos. Recorrendo a equipamentos ela pode ser convertida em eletricidade (fotovoltaica e térmica) ou em calor (térmica).

A água é um mineral; não tem vida, mas é condição essencial para a existência da vida. Ela representa mais da metade da composição de qualquer ser vivo. Dois terços da superfície da Terra são cobertos por água. Mas acontece que a água doce é pouca! Menos de 1% da água que existe no mundo é água potável, própria para o consumo humano. Essa água se renova através do ciclo das águas.

As matas e as florestas são importantíssimas. A Mata Atlântica e a Floresta Amazônica, por exemplo, são grandes riquezas do Brasil.

A Mata Atlântica, a mais rica entre as florestas tropicais pluviais do planeta, é considerada um santuário ecológico. É um dos ecossistemas de maior biodiversidade do planeta. A Mata Atlântica atualmente está distribuídas entre o Rio Grande do Sul e o Rio Grande do Norte. Devido ao intenso desmatamento, restam hoje apenas 7% da floresta original.

A Floresta Amazônica é uma densa floresta que fica numa imensa planície entremeada pelos rios da bacia amazônica. É a maior e mais exuberante floresta tropical úmida do mundo. Estima-se que a Amazônia tenha até 30% da biodiversidade terrestre do planeta. São mais de 30 mil espécies de plantas que cobrem desde o oceano Atlântico até o sopé dos Andes.

Outra riqueza a ser protegida são as matas ciliares, fundamentais para o equilíbrio ecológico. Matas ciliares são as que crescem ao longo das margens de rios e lagos. Elas oferecem proteção para as águas e o solo e reduzem o assoreamento de rios, lagos e represas, impedindo que a erosão carregue as terras das margens para dentro dos leitos dos rios.

Reservas minerais são bens que se encontram em jazidas. O ferro, ouro, níquel, a prata, a bauxita e outras riquezas são importantes matérias-primas para a qualidade de vida atual e futura. Existe uma grande preocupação em evitar que a extração de minérios cause prejuízos ao meio ambiente, por isso a extração só pode ser feita com autorização e estudos de recuperação.

Recursos fósseis provêm de animais ou plantas que existiram em épocas passadas. A fossilização de um organismo é um evento raro na natureza. A maioria dos organismos se degrada sem deixar rastro. Ambientes com pouco oxigênio e muita sedimentação - como pântanos ou o fundo do mar - facilitam as chances de fossilização. Petróleo, carvão mineral, gás natural e xisto são recursos fósseis.

Petróleo (do latim petro: pedra + oleum: óleo) é encontrado em bacias sedimentares. Origina-se da decomposição orgânica animal e vegetal depositada há milhões de anos.no fundo dos mares e lagos É composto basicamente por uma mistura de hidrocarbonetos (que são uma combinação dos elementos carbono e hidrogênio) e uma pequena quantidade de impurezas como enxofre, nitrogênio e metais.

Gás natural é um combustível fóssil encontrado em rochas porosas no subsolo, podendo estar associado ou não ao petróleo. É composto por gases inorgânicos e hidrocarbonetos saturados, predominando o metano e, em menores quantidades o propano e o butano, entre outros.

Geralmente apresenta baixos teores de contaminantes como o nitrogênio, dióxido de carbono, água e compostos de enxofre. O gás natural permanece no estado gasoso, sob pressão atmosférica e temperatura ambiente.

O carvão mineral - também chamado carvão fóssil ou de pedra - demora dezenas de milhares de anos para se formar. Surge de locais onde a vegetação foi densa e o ambiente pantanoso, capaz de conservar a matéria orgânica. A água estagnada impede a atividade das bactérias e fungos que, em condições normais, decomporiam a celulose. A massa vegetal assim acumulada, no prazo de milhares de anos transforma-se em turfa. Turfa é o nome da massa vegetal que vai se acumulando e acaba virando carvão fóssil. Conforme o teor de carbono, o carvão mineral pode ser dos tipos turfa, linhito, hulha ou antracito.

O xisto é uma rocha sedimentar denominada informalmente de "xisto pirobetuminoso", um folhelho com altíssimo teor de matéria orgânica de onde se pode tirar tudo o que se tira do petróleo, como produtos para produção de pavimentos, óleo e gás combustível. O óleo de xisto é semelhante ao petróleo e é produzido quando o xisto é submetido a elevadas temperaturas.

Topo da página

Indique para um amigo
Novidades do Ed por e-mail

O CONPET é um Programa do Governo Federal, vinculado ao Ministério de Minas e Energia - MME, e executado com o apoio técnico e administrativo da Petrobras.